ES PT
PE Labellers news
Noticias

P.E. Labellers: 40 anos juntos

2014 é um ano importante para a P.E. Labellers: que no mês de Abril completou 40 anos de atividade. A empresa mantovana, especializada na produção de máquinas rotuladoras rotativas e lineares, que hoje conta com um orgânico de aproximadamente 400 pessoas das quais cerca de 280 em Itália, conseguiu manter-se sólida e desenvolver-se continuamente graças ao espírito empresarial e à visão de futuro do seu fundador, Bruno Negri, que desde 1974, na altura empregado numa empresa de rotuladoras, se decidiu meter à prova dando vida a uma realidade toda sua. Como ouvinte atento e ótimo intérprete das exigências de mercado conseguiu, com o passar dos anos, afirmar-se e diferenciar-se dos seus concorrentes, afinando e ampliando com o tempo, em número e quantidade, as tecnologias propostas ao mercado.

A P.E. LABELLERS beneficia atualmente dos benefícios resultantes de uma política de consolidação forte e decidida, com o objetivo de obter o controle de todas as fases produtivas. Já desde metade dos anos Oitenta que a P.E. Labellers demonstra a sua intenção de não se limitar simplesmente a montar rotuladoras, mas de completar a fileira, desde a matéria prima até à máquina acabada, criando – sempre na província de Mantova – unidades produtivas colaterais: a tornearia para produzir as peças, a carpintaria metálica para a base das máquinas e um estabelecimento para equipamentos variados. Sucessivamente, foram criados estabelecimentos especializados nos diferentes tipos de rotulagem: um para as máquinas lineares autoadesivas (Packlab), um para as rotuladoras de baixa e média velocidade, outro para as rotuladoras roll-fed e Adhesleeve Technology e finalmente um estabelecimento para a produção de rotuladoras de alta velocidade e mais complexas tecnologicamente.

“Choose the specialist”, o pay-off adotado nos últimos anos, identifica a empresa no máximo das suas potencialidades. A mensagem é clara: escolham o especialista.

 

Nos últimos 15 anos a empresa alargou as suas fronteiras, desenvolvendo atividades e abrindo filiais no estrangeiro. Atualmente a P.E. Labellers conta com um estabelecimento de produção em Cincinnati (EUA) de 3.500 metros quadrados e com outro em São Paulo no Brasil de 1.500. As sedes comerciais, dedicadas à venda e assistência, estão ativas em França, Escócia e China, e está em vias de abertura outro estabelecimento produtivo na Argélia, que irá servir o mercado do Magreb.

A P.E. Labellers quer colocar-se, portanto, no mercado internacional como um fornecedor global mas a nível local. O objetivo, alcançado, é o da estandardização dos procedimentos do grupo a nível de projetação, produção e gestão através do programa ERP “SAP”. A estrutura informática é instalada num datacenter centralizado na sede de Mantova com sistema de “disaster recovery” externo.

De seguida, uma breve entrevista a Bruno Negri que conta a sua experiência nestes primeiros 40 anos de atividade.

 

- O que está por trás do sucesso da P.E. LABELLERS?

Atualmente, é indispensável oferecer qualidade e velocidade de resposta sem a necessidade de uma manutenção excessiva e de ser capaz de, em tempos muito breves, resolver os problemas do cliente: são os serviços e a qualidade oferecidos que fazem uma grande empresa.

O nosso setor de pesquisa e desenvolvimento (R&D), composto por 10 engenheiros, trabalha para todo grupo e tem a tarefa de analisar constantemente as novidades e os avanços tecnológicos nos quais investir com base no andamento e nas exigências do mercado. O verdadeiro ponto de força é o de conseguir antecipar as exigências do mercado, propondo determinadas soluções antes dos outros. Uma empresa que cresce e não tem intenções de parar, nem de reduzir a sua ascensão para o sucesso, deve equipar-se para poder dar sempre mais e responder rapidamente a cada dificuldade: para alargar o seu portfólio de clientes é necessário lutar com a concorrência oferecendo, para além de tecnologias mais avançadas, uma série de serviços melhores. Até há vinte anos atrás era suficiente oferecer um ótimo produto, mas agora é necessário ser cada vez mais competitivos também no que diz respeito aos serviços oferecidos, tratamento ao cliente e assistência continua.

 

- Como se deu, no específico, a expansão da empresa no estrangeiro? Quais foram os primeiros mercados aos quais a P.E. LABELLERS se apresentou?

Em1978 participámos na primeira feira em França, e a partir desse momento começámos a participar em feiras internacionais e abrimo-nos ao mercado estrangeiro. As feiras permitem desenvolver novos contatos e sondar novos países e potenciais parceiros. A escolha do país onde colocar uma sede produtiva nova não é casual. Existem parâmetros bem precisos por avaliar, com exigências específicas de mercado e capacidades logísticas. Com o passar dos anos prospetou-se a possibilidade de fundar novas filiais em França, EUA, Brasil e, depois de um estudo atento do mercado local, na China e Magreb, e nós não entrámos de pé atrás.

Já nos anos Oitenta a relação entre o mercado nacional e o estrangeiro era de 50/50. Atualmente, o grupo produz anualmente cerca de 400 rotuladoras: menos de 5% são colocadas no mercado italiano e as restantes destinadas ao estrangeiro.

 

- Como se chega a contar entre os seus clientes com grandes nomes como a Coca Cola, G.H. MUMM, Henkel...?

Nós oferecemos máquinas de altíssima qualidade, seguras e práticas para os operadores. O que tentamos propor ao mercado é algo de tecnologicamente mais avançado do que os outros, e é necessário propor-se continuamente, de forma eficaz.

É importante criar uma boa reputação, oferecendo produtos com uma boa relação qualidade/preço, mas não só: os clientes devem ser assistidos e é necessário ser capaz de oferecer uma série de garantias imprescindíveis para o sucesso das relações econômicas.

Nós gerimos a partir de Itália a nossa força comercial em todo o mundo. É, de fato, daqui que partem os managers que dão suporte às estruturas comerciais nos outros países, sobretudo nos casos em que se devem apresentar tecnologias inovadoras ou máquinas particularmente complexas.

 

- Qual é a duração média das vossas máquinas e como gerem o problema da manutenção e da assistência clientes?

As nossas rotuladoras têm uma vida média que vai desde os 15 aos 25 anos. Desde sempre que temos tentado, e o mercado reconheceu-o, eliminar e reduzir de forma drástica a manutenção. As partes sujeitas a desgaste são substituídas por ocasião das manutenções programadas, mas para poder resolver de forma simples eventuais problemas de tipo eletrônico equipámos todas as máquinas de um dispositivo para a teleassistência. O que significa que, a partir dos escritórios da nossa sede italiana, podemos controlar via web as máquinas instaladas em qualquer parte do mundo, avaliar o problema e na maior parte dos casos resolve-lo à distância, sem necessidade da intervenção de um técnico in loco.

 

- Qual é o segredo, de acordo com a sua opinião e experiência, para que uma empresa se mantenha sólida?

Para além de oferecer um catálogo de produtos de qualidade a preços o mais equilibrados possível, é necessário tentar ser sempre inovador, acreditar no que se faz e estar disposto a arriscar; o importante é acreditar sempre. Eu gosto de desafios e de estudar o mercado mundial. É necessário perceber quais são os países que oferecem maiores potencialidades, e aproximar-se no momento certo, como foi o caso do Brasil. A P.E. Labellers detém atualmente a gama mais completa de rotuladoras de todo o país: o nosso objetivo atual é o de sermos líderes do mercado brasileiro com a P.E. Latina, para isso é necessário investir tempo e recursos, mas faremos o que for possível para o alcançar.

 

- Quanto é importante participar nos eventos do setor em todo o mundo? Que esforço é requerido para organizar uma ou mais feiras todos os meses?

As feiras são importantes porque constituem uma janela para o mercado e dão oportunidade à empresa de fazer notar a sua presença. Organizar a participação em eventos do setor é muito exigente, sobretudo porque decidimos muitas vezes levar mais de uma máquina para dar uma panorâmica mais ampla do nosso trabalho. Em 2013 a P.E. Labellers passou a fazer parte de um grupo, denominado “rede”, em colaboração com a IPACK IMA para poder levar o made-in-Italy a todo o mundo e para se poder apresentar aos vários mercados emergentes, propondo-se com um consórcio de sete empresas pertencentes ao mundo do packaging não concorrentes entre si, para oferecer produtos e serviços complementares.

A "rede" consente a participação nas feiras às quais uma empresa nunca iria sozinha, devido aos custos e ao esforço requerido pela organização que seriam despropositados. Esta fórmula revelou-se vencedora porque como se costuma dizer: “a união faz a força”.

 

- Para concluir, três adjetivos que a definam como um empresário de sucesso.

Eu não me considero de sucesso! É necessário estar sempre em cima do acontecimento, somente colocando muito esforço no que se faz se poderão obter grandes satisfações: é necessário correr em continuação, para alcançar objetivos que se deslocam sempre mais para a frente.